16/09/2016

PALAVRAS DECEPÇÃO E CURA de Luís Fernando Praga

Decepção e cura
Afastei-me, neste período, de pessoas queridas, gente bonita, boa e inteligente, pessoas com as quais, mea culpa, não consegui manter a relação que existia no pré golpe. 

Sigo sem ódio de ninguém. Sinto que criei expectativas erradas sobre pessoas, instituições e sobre mim. O que sinto é decepção. 

O sentimento é meu e não há responsável por ele que não seja eu, mas posso tentar fazer o melhor possível a partir desta decepção, pois continuo repleto de esperanças.

Toda mudança é traumática, esta é muito triste, mas não posso ficar infeliz pra sempre só por causa de um Temer, de uma mídia vendida, das bancadas evangélica, ruralista e da bala, da direita fascista ou dos meus amigos que possuem visão política, noção de justiça, de valores, de sucesso, de democracia e de compaixão diferentes das minhas.
Não quero discutir o de sempre com quem já tem as suas certezas. Não posso convencer ninguém, não quero transformar meus amigos, mas, se o momento pede mudanças e é só a mim que posso transformar, não desejo mais me aproximar ou estreitar afinidades com quem se empenha em apoiar propostas retrógradas de líderes preconceituosos. 
Não quero nutrir grande afinidade com quem se vangloria de oprimir a liberdade alheia, não quero amigos xerifes, que, hipócritas, decidem enforcar gente mais inocente e menos perigosa que eles próprios. 
Não estreitarei laços com quem se orgulha de pensar conforme o rebanho ou sinta medo de questionamentos profundos. 
Não quero ser amiguinho de quem desconsidera o sofrimento dos que mais sofrem; 
Não me desgastarei a considerar argumentos carregados de preconceitos e baseados no ódio.

Meu afastamento é também das piadas machistas, racistas, sexistas e do humor desumano que não percebe o sofrimento que causa. 
Afasto-me do descaso para com a cultura e a educação;
Me afasto do economês da rede globo, sinceramente ele nunca me acrescentou em nada, e do “jornalismo” de rabo preso que se prostitui e planta, na sociedade, ainda mais ignorância.
Foi golpe, continua sendo golpe.
Postar um comentário