17/09/2016

PALAVRAS de Luís Fernando Praga DECEPÇÃO E CURA

Decepção e cura
Por Luís Fernando Praga
Foi golpe, continua sendo golpe.
A vida muda tão constantemente e é tão linda que, neste período de decepções, também descobri pessoas admiráveis e cheias de afinidades.
Sofremos pelo sofrimento humano, pelos carentes de recursos básicos, pelos carentes de direitos e pelos filhos dos quais essa tal democracia sente nojo e mantém excluídos.
Sofremos pelos pobres que sentem fome de educação, de reconhecimento, de dignidade e de comida.
Nós sofremos por ver gente rica e estudada, sem a menor educação e sem noção de cidadania.
Sofremos pelos pretos e pobres que superlotam presídios.
Sofremos com os brancos multimilionários que desviam dinheiro da merenda e da saúde;
Sofremos ao ver juízes brancos e ricos que passam suas vidas condenando pretos e pobres.
Sofremos por haver gente de todas as cores e classes sociais que culpam os pretos, os pobres, as minorias oprimidas e as esquerdas pelos problemas do País e do mundo.
Sofremos pela sociedade que age como se tudo tivesse que ser assim, banaliza o sofrimento e se faz cega às graves injúrias sofridas por seres humanos que ela mesma decidiu que seriam menos humanos logo ao nascimento.
Sofremos pelas guerras, pela destruição da natureza e pela exploração animal, mas temos a noção de que o ser humano é um animal e de que muitos vivemos em condições mais precárias que a de porcos e cães.
Sofremos com a injustiça, por isso não queremos gastar nossas vidas com caçadas e perseguições pessoais que nos estacionam na hipocrisia e são historicamente injustas.
É ao lado destas pessoas que espero construir meu futuro, pois, apesar de sofrermos dos mesmos sofrimentos, a esperança nos conduz e renova nossas forças, acreditamos na felicidade e a desejamos para todos.
Agrada-nos que pessoas pobres sejam incluídas, que possam estudar, ter um lar, frequentar cinemas, teatros e fazer turismo até de avião.
Respeitamos a cultura e os artistas, gostamos de cirandas, de mãos dadas, de rir, de cantar, de comer e beber juntos.
Não apoiamos líderes que queiram elitizar o prazer de viver.
Não exigimos regalias enquanto houver gente sem direitos, escravizada, passando frio e fome e não batemos panelas, de barriga cheia, pedindo mais privações aos pobres.
Somos felizes pelo que somos capazes de enxergar além deste presente ultrapassado, cheio de ódio, ignorância e preconceitos, que muitos acham o máximo e desejam conservar.
Nós amamos as pessoas e acreditamos na transformação pelo amor.

http://cartacampinas.com.br/2016/09/decepcao-e-cura/
Postar um comentário