12/09/2014

SOTURNO

SOTURNO




Encontrar um caminho até a sua compreensão
Ensinar você a me aceitar e me respeitar como sou
Ouvir o que digo, entender o que falo
Ele diz que sou chata, que só falo bobagens
Ninguém ouve, ninguém entende ninguém
Atender a um pedido feito, você nem cogita a respeito
Livre para o que quer, mas não se dá uma chance
Menos pra mim, menos palavras, menos atenção
Entender pra quê? É tudo baboseira mesmo
Aumenta-se o abismo que se abriu entre nós dois
Danificando toda possibilidade de você me olhar como gente
Ausente, não se importa com o mal que me acontece
A morte cerca por todos os lados, matando você e eu
Alcançou a destruição do que poderia ser uma amizade
Restou tristeza, mágoa, dor; por não ter sido ouvida
Tirando tudo o que restava de vida alegre interior
Imitando a alegria, que só você tem motivos para ter
Negando a oportunidade de me ver, de olhar para mim
Sonhar, sabe não é muito dar a chance que te peço
Um coração dedicado, cheio de atenção, não se despreza
Amar não é ofensa, não é ódio
Mais e mais distante me encontro, longe de você
Me procura, mas não me encontra sorrindo, alegre com você
Olhando o que foi perdido para sempre, você acha ótimo
Sem nada, feliz por não estar comigo 
Postar um comentário