02/10/2009

Casamentos acabados, vidas destrídas, mesmo depois de muitos anos (texto de Gláucia Carneiro)


 
O casamento acabou, para uma foi há uns dez anos, para outra já tem uns quinze e para outra mais de vinte, mas cada uma fala de tudo como se tivesse ocorrido ontem.
Cada uma ainda fala do ex marido como se ainda estivessem juntos, como se tudo tivesse acabado de acontecer Como ainda dói o momento do abandono!
Fico olhando cada uma dessas mulherem não terem reconstruídos suas vidas. Não terem conseguido.
Uma se casou novamente, mas foi tudo ilusão, mais uma vez correr atrás do vento. Devido ao estado fragilizado em que estava, se casou com um golpista, desses que roubam cartões, cheques e falsificam. Antes que piorasse a situação, decidiu se separar.
A outra tentou viver maritalmente, mas tem medo de sair novamente da casa da mãe e mais uma vez passar por tudo o que passou no primeiro casamento.
A outra desistiu, resolveu que nunca mais se casará, nem
vai se envolver novamente.
Imagina a situação: três mulheres, cada uma com quase 50 anos morando na casa da mãe.
E as filhas? O interessante é que todas tiveram filhas. Filhas que se entristecem ao presenciarem a dor de seus mães.
Filhas, algumas que já estão passando pelo mesmo que a mãe, também acreditando em um casamento cheio de amor.
Me parece que alguns homens ainda continuam não se sentindo prontos para o casamento, mas se sentem pronto para praticarem o sexo irresponsável e terem filhos irresponsavelmente.
E as mulheres, algumas, continuam a acreditar em um casamento duradouro e cheio de amor eterno.
Postar um comentário