26/09/2009

IGREJA CHEIA DO PODER DE GIZÚZ


Parodiando O Circo, cantada por Nara Leão, composição (Sidney Miller)
IGREJA CHEIA DO PODER DE GEZÚZ
Vai, vai, vai começar a igrejeira
Tem levita tocando a noite inteira
Vem, vem, vem ver o circo de verdade
Têm, têm, têm palhaços de qualidade
Dança, dança, minha gente que é preciso ser esperta
A bonita vá na frente, vê melhor quem vê de perto
Mas no meio da dança, unção alta, céu aberto
Sopra o vento que mover, cai no teto, rompe a fogo
Pra que o mover depressa também possa ser a festa
Bem me lembro dos músicos que mortais seus saltos
Balançando lá no alto parecia brincadeira, irmão
Mas fazia tanto, os músicos que o Zé do Trombone
De renome consagrado esquecia o próprio nome
E abraçava o microfone pra tocar o seu dobrado
Faço versos pros palhaços que na vida são de tudo
São soldados, carpinteiros, trabalhadores no mundo
Sem juíz e sem juízo dando dízimo a todo mundo
Mas no fundo não sabem que é tudo uma mentira
Todo encanto do sorriso que seu pastor não sorri
De dízimo em dízimo o pastor fica mais forte
Meia volta, volta e meia, recolhe com muito porte
Terminando sua coleta de repente a fera some
O pastor que era valente noutras feras se consome
O pastor com seu amor indiferente, a música toca:
Fala o toque da guitarra, fala a batida da bateria
Que o melhor vai vir agora um solo de dança e voz
com seu corpo é mulher, com seu rosto de menina
Quem chorava já não chora, quem cantava desafina
Porque a dança só termina quando a noite for embora
Vai, vai, vai terminar a brincadeira
Que pandeiro tocando a noite inteira
Morre a igreja, renasce o palhaço
cheio da unção e do poder de deus.
Postar um comentário