25/09/2009

APOLOGÉTICA




Apologética

Que bicho é esse que mordeu tanto essa semana? Que fatos? Quantos posicionamentos e comentários exacerbados?

E eu me coloquei a pensar sobre o assunto, sobre todo esse universo virtual, sobre a blogagem apologética, sobre a crise na igreja protestante brasileira, pois a que acontece lá fora não me interessa.

Depois de muito pensar, resolvi escrever. Este blog aqui é meu mesmo, então eu escrevo o que eu quero, falo o que eu quero, quem não gostar é só comentar, que eu só vou publicar o comentário também se eu quiser.

Todos os comentáris são publicados sem minha autorização, só deleto comentários se alguém escrever palavras de baixo calão: palavrão.

Mas como diz alguns que já comentaram aqui, eu não sou uma ameaça, afinal eu nem chego a ter seguidores.

Desde que comecei nessa de blogar no meio apologético fiquei cheia de zelos. Deletei meus poemas para não ferir a FÉ de nenhum irmãozinho; e o que vi nessa semana me deixou em lágrimas.

Afinal de contas o que é esta tal de APOLOGÉTICA? Fui pesquisar online, pois em minha humilde biblioteca particular, que se resume a uma simples estante de seis prateleiras na sala, mais outra no quarto, e a vários livros espalhados pela casa, eu não tenho um único dicionário bíblico. Que absurdo da minha parte!

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Apologética - é uma palavra derivada de "apologia" (do grego απολογία, "defesa verbal")[1] usada para designar a prática da explanação e defesa sistematizadada da fé cristã[2].
Esta eu entendi, prática da explanação e defesa sistematizada da FÉ cristã. Entendi perfeitamente a defesa da FÉ cristã, mas não entendi a prática dessa defesa nessa semana por causa de um post do Leonardo Gonçalves do Blog Púlpito Cristão.
Não percebi onde, em que momento, nem como o texto do Leonardo Gonçalves abalou a FÉ cristã de alguém.
Conforme Sproul, Gerstner, Lindsley (1984:13),"Apologetics is the reasoned defense of the Christian religion", i.e., a apologética é a defesa fundamentada da religião Cristã. Como defesa fundamentada da , a Apologética está para a Teologia como a Filosofia está para as Ciências Humanas.
Nesta definição da APOLOGÉTICA como a defesa fundamentada da religião cristã eu entendo a postura dos atacantes. Religião é algo que precisa mesmo ser defendida, pois ela não existe sem uma defesa. Em nome da religião foram cometidos os maiores genocídios da história da humanidade.
Foi a religião judaica que para defender suas atrocidades, julgou, condenou e matou um que nunca cometeu pecado e que nunca ninguém achou nele engano algum: JESUS CRISTO.
Defender a religião como defesa fundamentada da FÉ, o islamismo faz isso muito bem, e se preparem, a terceira guerra santa pode vir a qualquer hora.
É definida pelo dicionário Houaiss como sendo:
"(1) Rubrica: teologia; defesa argumentativa de que a fé pode ser comprovada pela razão (1.1) Rubrica: catolicismo, teologia; parte da teologia que se dedica à defesa do catolicismo contra seus opositores (ver também Apologética Católica)"
Uma defesa argumentativa da FÉ cheia de razão atacando alguém de uma maneira torpe, cruel, demonstrando uma total falta de respeito pela pessoa humana.
"(2) Derivação: por extensão de sentido (da acp. 1); defesa persistente de alguma doutrina, teoria ou idéia."
Agora achei, isto aqui descrito foi exatamente o que aconteceu: defesa persistente de doutrinas, teorias e idéias humanas, pessoais, arbitrárias, insensatas e completamente destituídas de AMOR.
Ramm (1953:2) identifica na apologética o papel fundamental de mediar e conciliar tensões intelectuais:
Em que momento a APOLOGÉTICA mediou e conciliou as tensões intelectuais? Muito pelo contrário, muitos dos que se dizem apologéticos produziram as tensões é só ler cada um dos comentários do post CAIO FÁBIO: ovelha em pele de lobo de Leonardo Gonçalves:
...a apologética media tensões intelectuais. [Essa] mediação intelectual alivia as pressões mentais, resolvendo discrepâncias aparentes, harmonizando todos os elementos da vida mental. (...) Com o surgimento da mentalidade moderna e o conhecimento moderno, veio uma ampla gama de tensões para o apologeta Cristão mediar.
É de entristecer o coração, ver o que começou a acontecer no dia 21/09/2009 e ainda está acontecendo até agora, alguns mediadores de umbigos.
Agradeço a DEUS, por tocar o coração de alguns que estão realmente tentando aliviar as tensões e trazer um pouco de harmonia.
Alguns apologetas que tenho observado não conseguem trabalhar com algumas discrepâncias da modernidade.
Mentalidade moderna e conhecimento moderno significa para a maioria uma desintegração do cristianismo, quando na verdade o cristianismo já deveria ter se desintegrado há muito tempo.
JESUS não veio pregar nenhum doutrina, não veio pregar o cristianismo, veio nos trazer vida e vida em abundância; veio para nos salvar, para que sejamos salvos através d'Ele.
Francis Schaeffer argumenta que a apologética não deve ser usada como um conjunto de regras fixas e impessoais, mas que a explanação da fé deve estar sujeita à direção do Espírito Santo e à consciência da individualidade de cada pessoa[3].
Infelizmente a APOLOGÉTICA é usada como um conjunto de regras fixas e pessoas por muitos. A explanação, na maioria das vezes, está sujeita ao EU de quem fala.
Postar um comentário